quarta-feira, 3 de novembro de 2010

THANK’S!

Mentiras e Lorotas

"Senhor, livra-me dos lábios mentirosos e da língua enganadora" 
(Salmos 120:2).
Um menino visitou sua tia, que o repreendeu por contar uma lorota. "Você sabe", advertiu ela, "o que acontece com pequenos meninos que dizem mentiras?" "Não, tia. O que acontece?" ele perguntou. "Bem", disse ela, "existe um homem que mora na lua, de cor esverdeada, que tem só um olho, que desce no meio da noite e voa de volta para a lua levando pequenos meninos que dizem mentiras. Lá eles são espancados com varas pelo resto de suas vidas. Você ainda dirá mentiras?"

O que é a mentira para nós? Somente o que outros dizem ou também o que nós dizemos e que está em desacordo com a verdade? Será que podemos medir o tamanho de nossas mentiras, classificando-as, às vezes, como "mentirinhas inocentes", quando nos convém? Ou será que mentira é mentira sempre, seja do tamanho que for, e que sempre é contrária ao Senhor Jesus que nos disse: "Eu sou a Verdade"? Temos consciência de quem seja o pai da mentira?

A tia, em nossa ilustração, repreende o menino por uma "lorota" e para exemplificar o quanto é errado se dizer mentiras, conta uma história mentirosa que chega até à lua! Como ela, criticamos àqueles que mentem mas não nos sentimos envergonhados de mentir em muitas ocasiões, achando que a atitude é errada apenas quando se trata de outras pessoas.

O salmista cantava: "Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração". E como poderei dizer que sou puro se minha boca continua proferindo mentiras que desagradam a Deus? Como poderei me colocar diante do Senhor em oração se anteriormente estava enganando alguém com palavras não verdadeiras? Como poderei derramar minha alma no altar de Deus após envergonhá-lo com palavras que afrontam a Sua santidade?

A verdade sempre é a melhor maneira de nos expressarmos às pessoas.
Paulo Barbosa


Debaixo Das Asas De Deus

"Ele te cobre com as suas penas, e debaixo das suas asas encontras refúgio" (Salmos 91:4).

"Debaixo de Suas asas, debaixo de Suas asas, Quem de Seu amor pode dividir? Debaixo de Suas asas, minha alma deve agüentar, Para sempre, as lutas que hão de vir."

Muitas lutas podemos ter enfrentado em cada ano de nossas vidas. Muitas outras, certamente, ainda teremos de enfrentar.E por que ainda não sucumbimos? Por que não desfalecemos? Por que continuamos firmes e confiantes na vitória?

Por mais que as lutas nos sobrevenham, por mais que derrotas passageiras tenham nos feito estremecer, por mais que que tenhamos ficado tentados a desistir, mantivemos a fé. Perseveramos! Nos momentos de maior aflição percebemos as asas do Senhor nos envolvendo, nos abrigando, nos protegendo. Ele estava ali, ao nosso lado, sussurrando em nossos ouvidos espirituais: "Não tenha medo, estou ao seu lado. Resista. Nada poderá evitar a sua vitória!

Nada neste mundo poderá abalar a nossa firmeza ou calar a nossa esperança, se estivermos abrigados sob as asas do Altíssimo. Ele nos protege, nos estimula, nos encoraja na adversidade. Sua força nos impulsiona a lutar e vencer as batalhas. Nós confiamos nEle e isso é o bastante para nos reanimar em qualquer situação.

A certeza de estar sob os cuidados de nosso Deus garante a nossa alegria, enche a nossa alma de regozijo, nos capacita a brilhar diante de crises e tormentas. A Sua presença enche as nossas lâmpadas espirituais com o combustível da fé. As trevas são dissipadas, as tentações são postas a correr, as dúvidas são ignoradas e os nossos olhos não se desviam da bandeira de nossas conquistas: o Senhor Jesus Cristo.
A paz sempre reina em nossos corações quando estamos debaixo das asas do Senhor.
Paulo Barbosa.

Nenhum comentário: